• Mariana Floria

O match perfeito: encontre um psicoterapeuta que te acompanhe em sua jornada!



Foi escrevendo o e-book que me dei conta que já são quase 10 anos dedicados à experiência clínica, à realização de palestras, cursos e ao atendimento de adultos de todos os cantos do mundo.


Ingressei no curso de graduação em Psicologia na Universidade Federal de São Carlos, mais conhecida como UFSCar, em 2008. Logo nos primeiros anos me interessei pela Análise do Comportamento, ciência psicológica que estuda o comportamento humano. Aprofundei meus conhecimentos por meio de aulas, congressos e cursos e, mais importante, realizei a maioria dos estágios (parte prática inserida no curso desde o segundo ano de graduação) nessa abordagem da Psicologia.


O atendimento clínico e a área acadêmica sempre foram duas grandes paixões para mim. Ainda durante a graduação tive a oportunidade de cursar a Formação em Terapia Comportamental pelo ITCR-Campinas e de participar de um estágio pela USP-Ribeirão Preto focado no atendimento a grupos baseado na Terapia Cognitivo-Comportamental. Após me graduar como Psicóloga, fiz também Mestrado em Cognição e Comportamento (UFSCar) e Especialização em Psicoterapia Comportamental (ITCR-Campinas).


E foi durante o Mestrado e a Especialização que iniciei propriamente minha carreira como psicóloga clínica. Inicialmente atendia crianças, adolescentes e adultos tanto na cidade de São Carlos, como também em Santa Cruz das Palmeiras. Os clientes me procuravam principalmente por meio de indicação de conhecidos e pessoas que já haviam sido atendidas por mim. Foi aos poucos que minha agenda foi se enchendo e eu pude acumular mais e mais experiência.


Ao longo dos anos, optei por me fixar apenas em São Carlos, atendendo adolescentes e adultos. Como minha rede de contatos sociais por aqui era mais restrita, um dos perfis que sempre me ajudou na busca por clientes foi o Doctoralia.


Um fato interessante é que minha experiência com o atendimento on-line iniciou-se ainda na graduação. Talvez por viver em variadas cidades ao mesmo tempo (no final da graduação chegava a viajar para quatro cidades diferentes na mesma semana), sempre fui fã das oportunidades que a conexão on-line pode proporcionar. A flexibilidade, a possibilidade de contato com pessoas de diferentes localidades e a quebra de algumas barreiras de acesso ao atendimento psicológico são os pontos que mais me encantam!


Já era um projeto de vida migrar para apenas atendimentos on-line, muito impulsionada pelo relacionamento que estabeleci com meu marido, que é alemão. Mas, foi a pandemia que deu esse empurrão total - me desfiz do meu espaço de atendimento presencial em São Carlos e organizei ainda mais meu cantinho de trabalho em casa (o famoso home office).



E pensando nessa temática de atendimento, sei o quanto pode ser difícil a tomada de decisão sobre qual profissional escolher para lhe atender. Por isso, hoje eu trago algumas dicas que podem lhe auxiliar nessa empreitada. Vamos lá?



1. Peça indicação para amigos ou familiares

Um dos pontos essenciais para a efetividade da psicoterapia é você se sentir seguro e à vontade com o profissional que irá lhe atender. Por vezes, saber como foi a experiência de amigos e familiares com determinado profissional pode lhe ajudar a refinar sua busca.



2. Procure em plataformas de busca de profissionais

Você também pode procurar psicólogos por meio de plataformas de buscas: Doctoralia, Mundo dos Psicólogos, BuscaPsico, Zenklub… Geralmente essas plataformas contém depoimentos de pessoas que foram atendidas por aquele profissional, o que pode lhe auxiliar a ter uma ideia mais clara de como pode ser o atendimento realizado por ele.



3. Analise o site e redes sociais do profissional

Você poderá ter contato com os conteúdos divulgados por ele e, assim, começar a avaliar se as especialidades desse profissional podem atender sua demanda. Além disso, já é uma boa maneira de já ter uma impressão sobre como tal profissional trabalha e se lhe agrada.



4. Faça uma autoanálise sobre o que procura

Há pessoas que se beneficiam mais ao serem atendidos por profissionais mais acolhedores e pouco interventivos; outras esperam uma maior interação do terapeuta ao longo dos atendimentos. Algumas perguntas que podem lhe ajudar na reflexão:

  • “O que espero vivenciar no processo terapêutico?”;

  • “Como costumo me sentir quando converso com colegas/amigos que são mais acolhedores? E quando são mais diretos e dizem o que não está legal?”

  • “Se eu pudesse escolher, como gostaria que meu terapeuta interagisse comigo?”

Essas questões podem lhe ajudar a direcionar suas expectativas para, assim, aplicar o passo 5.



5. Faça uma sessão inicial com o profissional escolhido para avaliar como se sente

Essa é a etapa mais importante! Por mais que você tenha pesquisado e debatido com conhecidos sobre a experiência deles, ainda assim, é a sua experiência que conta!

Pesquisas indicam que uma das variáveis mais importantes para o sucesso do processo terapêutico é a qualidade do vínculo estabelecido entre terapeuta e cliente (até mais do que o tipo de abordagem utilizada pelo profissional em questão). Então aproveite essa primeira sessão para analisar como se sente com esse profissional:

  • Sentiu-se à vontade para expressar o que precisava?

  • O profissional te ajudou a se expressar ou organizar suas ideias nos momentos em que se sentiu perdido ou não sabia o que falar?

  • Gostou da dinâmica do bate-papo que vocês estabeleceram ao longo da sessão?

  • Sentiu-se seguro e confiante?

Caso não tenha gostado, não se culpe e nem se envergonhe por isso. Recomece sua busca e vá analisando como se sente com outro profissional. Esse processo é extremamente natural e, inclusive, aconselhado. E é esperado que tal profissional entenda que você pode optar por outro terapeuta. Mas se você sentir que ele não te deu abertura para isso, tenha certeza que isso é uma falha ética e pode ser até mais um motivo para você trocar de terapeuta, rs!



6. Para atendimentos on-line: cheque o cadastro do profissional no Conselho Federal de Psicologia

O CFP tem como norma que todos os psicólogos que atendem de forma on-line devem ter um registro atualizado na Plataforma e-Psi. É a forma que o Conselho encontrou de supervisionar e organizar a prática clínica desses profissionais.

É só consultar por meio desse link: https://e-psi.cfp.org.br/

E, então, você acha que esses passos podem lhe ajudar a escolher um profissional?


8 visualizações0 comentário